Opinion Shakers Headline Animator

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

A experiência científica do século iniciou hoje

Finalmente estamos prontos e temos a tecnologia necessária para descobrir muito mais sobre o nosso ignoto Universo, inclusive até dar a resposta à questão milenar de como terá sido ele criado. Essa tecnologia está localizada na fronteira entre a Suiça e a França, num túnel com 27 quilómetros de circunferência, construído 100 metros abaixo do solo, foram instalados quatro grandes detectores, no interior dos quais vão produzir-se colisões de protões numa velocidade próxima da luz. Vão ser acelerados dois feixes de protões em sentido oposto, produzindo choques que darão lugar a energias tais que recriam as condições do Universo nos primeiros momentos após o Big Bang, ou seja, o nascimento do Universo há 13,700 biliões de anos, explicou Gaspar Barreira (director do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas) à TSF.

Actualmente só conhecemos 4% do Universo segundo João Varela (professor do departamento de Física do Instituto Superior Técnico e investigador do CERN - Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), entrevistado pela TSF.

Esta experiência iniciou-se hoje, embora o projecto tenha sido pensado ao longo de 20 anos, envolvendo mais de 40 países e seis mil cientistas, entre os quais há 200 portugueses. Possivelmente este enorme acelerador de partículas estará em funcionamento nos próximos 15 anos. Os primeiros resultados devem aparecer no final deste ano, mas possivelmente irão confirmar aquilo que já sabemos, que a especiosa hipótese de Deus na criação do Universo não é necessária. As primeiras descobertas só devem chegar lá para 2010. Esta será a maior experiência cientifica do século. Entrámos numa nova e excitante fase para a Física.

2 comentários:

João Pereira disse...

tenho que pagar o IRS ou isto vai mesmo rebentar de vez?!?!??!

Helder Gomes disse...

O Sócrates e o Fernando Teixeira dos Santos não vão deixar. Não deixam que os contribuintes deixem de pagar os impostos nem que o CERN rebente com isto, porque rebentar com Portugal é exclusivo deles.