Opinion Shakers Headline Animator

sábado, 20 de setembro de 2008

Como ser esbanjador e não dizer nada de jeito - eis o panorama musical na actualidade

Todos sabemos que a indústria musical, anualmente, movimenta vários biliões de dólares, a maioria dos quais nos EUA. O agressivo mercado global tem vindo aos poucos a retirar o encanto daquilo que outrora era algo natural, com substância e que requeria talento, para algo artificial e comercial. Isto diz respeito, não só, a toda a indústria do entretenimento, mas também ao desporto. É a célebre máxima "business as usual" ao seu melhor estilo.

Eu queria apenas aflorar este tema, pelo que vos deixo dois vídeos. Já que uma imagem vale por mil palavras, eu acrescento: um vídeo vale por um milhão de palavras. E dois vídeos então...!!! (façam vocês as contas, como diria António Guterres).

Eu sei que estou aqui a querer comparar o incomparável, exceptuando o facto dos dois singles terem sido sucessos de vendas em todo o mundo, mas atentem aos dois vídeos e vejam as diferenças. Tudo bem, eu sei que a diferença que solta à vista é que as gajas boas do primeiro vídeo são bem melhores do que a Yoko Ono, mas não é dessas diferenças de que eu estou a falar.

No primeiro, a mensagem, se é que ela existe, é uma autêntica merdice (desculpem o termo) e a fortuna gasta com o video-clip dava para alimentar milhões de pessoas em África.



No segundo, a coisa inverte-se, a mensagem é rica (dá para alimentar milhões de mentes em todo o mundo) e o dinheiro gasto com a mesma é uma merdice, quero dizer, um ceitil, uma ninharia. Enfim!! Já não se faz música assim! Mas isto sou eu que estou ficando velho!

Um comentário:

João Pereira disse...

Tudo o que é massificado acaba por em geral perder qualidade. Mas ainda há boa música nos dias d hoje, e com substância! Poucas é verdade, mas há.