Opinion Shakers Headline Animator

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Também o lixo será a preço de saldo ???

Acontece em Quarteira, como deve e com certeza que acontece noutras localidades pelo País fora... infelizmente. Se muita coisa não anda nos carris da compreensão eticamente moral e consciencioso, então o que retrata estas imagens dizem tudo. Se alguém quiser ser vendedor ambulante com espaço num mercado qualquer, numa localidade por este País fora, paga uma licença que dá-lhe acesso a um lugar onde expõe o seu produto (contrabando ou não.... isso é matéria para ASAE [outro assunto que podemos aflorar noutro "Shaker"] mas que o povo gosta é verdade...) a preço de saldo seja em Português ou em Inglês, ou algo parecido com isso, mas esse facto não lhe dá qualquer direito de gozar com os cidadãos em geral e com labora na limpeza das nossas vilas e cidades...

No final de um dia de mercado, o mesmo é dizer a meio da tarde, este é o cenário na principal artéria de Quarteira, junto a hotéis, perto do calcadão (ex-libris da nossa cidade), e isto é o quem nos visita tem o "privilégio" de observar, ou seja caixotes, papéis, plásticos, entre outras coisas que ficam literalmente no chão, voando, dignificando pela negativa, pode-se assim dizer, a nossa cidade que se quer de atracção turística, e depois apresentamos estes Postais Ilustrados...
Porque não, responsabilizar os vendedores, atribuindo a obrigatoriedade de deixar o lugar que ocupa no mercado, da mesma forma como o encontra quando inicia o mercado? Porque não incluir no Regulamento das Feiras e Mercados um artigo que obrigasse os vendedores a respeitarem as cidades que visitam e as suas populações, respeitando quem visita, trabalha e obviamente quem mora nessas cidades, limpando os espaços que ocupam nos mercados sob pena de ficarem sem a licença de venda senão o fizerem? Porque será que teremos que ser nós, os moradores das cidades que tenhamos de pagar aquilo que alguém suja e propositadamente deixa o lixo apêndice às feiras e mercados e ao mesmo tempo aproveita e faz a limpeza à carrinha e distribui mais uns caixotes, papéis e plásticos às centenas que esvoaçam e "passeiam" nas nossas cidades?
Deixo esta minha desgarrada emocional e estas perguntas que espero que reflictam e contribuam, opinando sobre este problema, ou melhor eu acho que é problema e tu ????

3 comentários:

João Santos disse...

Visite o Quarteira XXI:

http://quarteiraxxi.blogspot.com/

Miguel disse...

Tudo deveria começar num espaço próprio para o mercado de Quarteira que não fosse as ruas de Quarteira ou seja num recinto com as devidas condições. Depois cada comerciante que desejasse vender os seus produtos pagaria a taxa municipal que incluisse todos os serviços que a JF ou CML terá que efectuar ...!

Obrigado pela visita e boa sorte para o vosso espaço ...!

Um abraço da M&M & Cª!

Camila disse...

Olá.

Bem-vindos à blogosfera opinativa.

Desejos de um futuro crítico auspicioso.

Cumprimentos,

Camila